• Acolher e garantir proteção integral;
  • Contribuir para a prevenção do agravamento de situações de negligência, violência e ruptura de vínculos;
  • Restabelecer vínculos familiares e/ou sociais;
  • Possibilitar a convivência comunitária;
  • Promover acesso à rede socioassistencial, aos demais órgãos do Sistema de Garantia de Direitos e às demais políticas públicas setoriais;
  • Favorecer o surgimento e o desenvolvimento de aptidões, capacidades e oportunidades para que os indivíduos façam escolhas com autonomia;
  • Promover o acesso a programações culturais, de lazer, de esporte e ocupacionais internas e externas, relacionando-as a interesses, vivências, desejos e possibilidades do público.
  • Desenvolver capacidades adaptativas para a vida diária;
  • Promover a convivência mista entre os residentes de diversos graus de dependência;
  • Promover o acesso à rede de qualificação e requalificação profissional com vistas à inclusão produtiva

A Vila Esperança tem como finalidade acolher, assistir e ofertar serviço de Acolhimento Institucional de longa permanência, no âmbito da Proteção Social Especial de Alta Complexibilidade do SUAS, para jovens e adultos com deficiência múltiplas (física e intelectual) sem deambulação, de ambos os sexos, no âmbito regional, nacional e internacional, conforme a Tipificação dos Serviços Socioassistenciais e o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Atender no Serviço de Acolhimento Institucional na modalidade residência inclusiva para 55 (cinquenta e cinco) pessoas, cujas famílias ou responsáveis encontram-se temporariamente impossibilitados de cumprir a sua função de cuidado e proteção, que são privados da convivência familiar por abandono, negligência ou orfandade, mediantes a prestação de serviços diários sistemáticos e planejados.

Os usuários são encaminhados da Central de Vagas da Secretaria de Desenvolvimento Social do Distrito Federal-SEDES.

As ações recorrentes desenvolvidas pela instituição visam garantir direitos no enfrentamento das violações de direito contra a pessoa com deficiência, buscando ofertar de forma qualificada a proteção integral de seus acolhidos, promovendo a inclusão na vida comunitária e social, contribuindo para a interação e superação de barreiras, construção progressiva da autonomia e maior independência. Tais ações procuram proporcionar a busca incessante pela defesa e garantia de condições de vida dignas de todos os acolhidos.